Participo da comunidade WordPress há alguns anos e sou moderador de alguns grupos no Facebook e Google+ relacionados ao nosso amado CMS.

Semana passada tivemos um problema no grupo WooCommerce Brasil, que atualmente conta com quase 6.000 membros, que me fez fazer o seguinte tweet:

Resumidamente:

  • Um membro do grupo decidiu publicar um tópico perguntando quem gostaria de dividir o custo de um plugin com ele
  • O tópico foi apagado
  • Membro criou um novo tópico reclamando porque o primeiro foi apagado
  • Moderadores (inclusive eu) explicaram o motivo
  • Membro preferiu bater boca
  • Foi banido do WooCommerce Brasil
  • Criou tópicos em outros grupos ofendendo moderadores

Não vou sequer questionar o fato desse membro preferir difamar os moderadores em outros grupos ao invés de falar diretamente com eles, mas focarei no conteúdo do tópico que foi apagado que é dividir contas e licenças de plugins, temas, softwares etc. com outras pessoas.

Antes de dar minha opinião a respeito, gostaria de deixar bem claro para quem não acompanhou o caso nos grupos:

O tópico foi apagado porque já ocorreram casos em que membros criaram um “crowdfunding” pelo grupo e depois sumiram com o dinheiro de todos. O problema começa a escalar quando os membros lesados acham correto jogar a culpa nos moderadores e  começam a cobrar uma ação a respeito.

Isso significa que o tópico foi apagado para evitar dor de cabeça para os moderadores, já que não podemos nos responsabilizar pelo erro de outros.

Apesar dessa ter sido a razão central, há diversas outras razões para você parar agora de compartilhar suas contas e licenças com outras pessoas.

Ética

Como participo da comunidade WordPress, vejo muitos casos em que criam esse esquema para economizar no valor da licença de plugins e temas premium. Na maioria dos casos isso é feito por desenvolvedores que não querem repassar o custo de determinado plugin para o cliente final.

Vale repetir o que eu disse acima de uma maneira diferente:

Um profissional é contratado por um cliente e cobrará por esse serviço, porém, não acha legal valorizar o trabalho de outro profissional que desenvolveu o tema ou plugin que economizará várias horas no projeto.

Isso não se aplica apenas para desenvolvedores tentando economizar com plugins. Se alguma empresa oferece um serviço que economizará seu tempo e esforço, por que não pagar por ele?

  • Spotify economiza seu tempo em procurar a discografia do seu músico predileto pela web
  • Netflix economiza seu tempo em procurar um bom arquivo full HD do filme ou série que você deseja assistir
  • Sites de cursos economizam seu tempo baixando vários PDFs para criar seu próprio método de estudo
  • e por aí vai

Sua conta é sua identidade

Já passou da hora de entendermos que contas de usuário e licenças são as representações na internet de nosso RG ou CPF. Uma conta de usuário (A.K.A username) é o que te torna único dentro de um sistema web.

Seja qual for o sistema, você não encontrará duas contas com o mesmo username. Então aprenda a proteger a sua conta porque, caso você a perca, você deixará de existir para aquele sistema.

Falta de segurança

Ao compartilhar sua conta com outras pessoas, você está compartilhando dados pessoais com elas.

Alguns sistemas que utilizam cobrança recorrente (uma assinatura mensal, por exemplo), salvam os dados do seu cartão de crédito para que possam fazer a cobrança novamente dentro de um período pré-determinado. Isso significa que, ao compartilhar sua conta, você também está fornecendo informações sigilosas para outras pessoas.

A situação piora ainda mais se você escolher dividir a sua conta ou licença com alguém que você acabou de conhecer em um grupo de alguma rede social.

Para pensar a respeito

Vou deixar algumas questões que acho que valem a pena refletir sobre:

  1. O que garante que essa pessoa não utilizará os seus dados em outros locais?
  2. E se essa outra pessoa mudar a senha da sua conta?
  3. Vale a pena ter dor de cabeça para economizar alguns trocados?
  • Realmente, sempre que orço um projeto incluo o valor de plugins ou temas mesmo que a licença seja de desenvolvedor (uso ilimitado) pois no fim do projeto todas as licenças ficam com meu cliente, a não ser que eu venha a fazer alguma manutenção e mesmo assim, no fim do contrato, todas as licenças TEM que ser DO CLIENTE, pois ele é quem pagou pelo job. Quanto a outros, cursos ou serviços de streaming, é tipo de coisa que só se compartilha com pessoas do círculo familiar, e olhe lá pois já vi gente chorando pois o/a ex ficou com raiva no término da relação e mudou senhas, e-mail de recuperação, tudo!

    Post muito válido! E quanto aos que causaram problema no grupo do facebook, tenho pena, no futuro irão provar os problemas de “dividir” licença com outros. Deixo também a pergunta, você gostaria de desenvolver um site para um cliente, e depois descobrir que ele usou teu mesmo site em 3, 4 outros projetos fazendo pequenas alterações? Ainda mais quando você fez aquele desconto BACANA pra ele fechar com você? Detalhe: no contrato você mesmo colocou “utilização para UM ÚNICO projeto”. Se não gostaria de ser passado pra traz, repita o gesto e seja honesto com seus fornecedores! 😉




    1



    0
  • Pingback: 2016 foi bacana sim - Rafael Funchal

Deixe uma resposta