Quem acompanha meu site já sabe que eu participo da comunidade WordPress.org no Brasil e ajudo a organizar WordCamps e meetups em São Paulo, cidade onde moro.

A comunidade é formada por voluntários que disponibilizam seu tempo para traduzir (o próprio WordPress, temas e plugins), organizar eventos (WordCamps e meetups) e participar do fórum oficial.

Segundo o site Dicio.com.br voluntário é:

Que é feito sem constrangimento ou coação; espontâneo.
Que só age de acordo com a sua própria vontade; caprichoso, voluntarioso.

Antônimos de Voluntário
Voluntário é o contrário de: obrigado, forçado, constrangido, obrigatório, compulsório, imperativo

Isso significa que voluntários não têm obrigação de responder tópicos solicitando ajuda nos fóruns ou outros canais. Fazemos isso em nosso tempo livre.

Depois dessa introdução, vou listar algumas formas de como não pedir ajuda em fóruns e grupos:

O que não fazer!

Defina um prazo

Como mencionado acima, os voluntários se colocam para ajudar e responder dúvidas em seu tempo livre. Voluntários não são obrigados a cumprir o seu prazo e resolver seus problemas quando você quiser.

Caso você precise de ajuda urgentemente, seria melhor contratar um freelancer para resolver sua necessidade. Dessa maneira você poderá explicar sua necessidade, alinhar o projeto e definir um prazo para execução.

HangarWP é um bom site para encontrar esse tipo de profissionais.

Seja bem resumido

Estou com um problema no meu site WordPress!

Sim, temos muitos tópicos apenas com frases parecidas com essa.

Explique seu problema o melhor possível!

Está com um erro? Explique os passos necessários para reproduzi-lo.

O problema começou depois que instalou um tema ou plugin? Então explique isso também e informe qual o tema ou plugin.

Sua hospedagem não funciona? Informe as versões do PHP e MySQL usadas em seu servidor. Informar quais módulos PHP estão ativos também ajuda muito.

Já tentei de tudo para resolver

O que você tentou fazer para resolver? Enumere todos os procedimentos que já fez e que falharam.

Resumidamente: Quanto mais detalhes você der em seu tópico, mais fácil será diagnosticar o problema e sugerir uma solução.

Passe seu telefone ou outros contatos

É bem comum aparecer tópico com textos mais ou menos assim:

Aqui está meu celular XXXXXXXX, me liguem que eu explico o que preciso.

Ninguém precisa falar que não é seguro sair passando seus dados em fóruns públicos né? Então não faça isso.

Outro item importante: Se você criou o tópico, a ajuda deve ser feita nele e não por telefone ou por email. Outras pessoas podem ter a mesma dúvida.

Invada a privacidade dos voluntários

Alguns voluntários também estão presentes, além do fórum, em alguns grupos no Facebook, Google+ e outras redes sociais, porém, isso não te dá o direito de mandar uma mensagem privada para a pessoa e esperar que ela resolva.

Eu não te conheço pessoalmente, mas estou com um problema e quero que você resolva

Respeite a privacidade dos voluntários!

Publique sua dúvida no fórum ou grupo e aguarde uma resposta. Alguém aparecerá para te ajudar.

Pense que o voluntário é seu empregado

Meu cliente quer isso e vocês têm que me ajudar

Se você vende projetos web e promete soluções para seus clientes sem saber executá-las, você tem um grande problema de ética.

Acompanhe a linha de pensamento:

  • Você vendeu um projeto prometendo X recursos.
  • Você receberá para desenvolver esses X recursos.
  • Por que você acha justo que alguém faça o seu trabalho de graça para você?

Vejo muitos pedidos desse tipo e, mesmo após alguém informar tudo o que o desenvolvedor deve fazer para resolver o projeto (o que já é uma consultoria gratuita), esse profissional só que não sempre manda algo assim:

Mas você não tem esse código pronto só para eu copiar e colar?

Caro desenvolvedor, se você não tem tempo para ser um desenvolvedor melhor e aprender como resolver seus próprios projetos, seja honesto com seu cliente.

Não consegue desenvolver um projeto? Terceirize-o e informe seu cliente sobre suas ações.

Seja honesto sempre!


Estou publicando esse post por que recebi uma mensagem hoje que atingiu em cheio os itens Defina um prazo e Invada a privacidade dos voluntários. Então decidi compartilhar os erros mais comuns em minha opinião.

Você tem alguma outra dica? Comente aí e vamos conversar a respeito 🙂

  • Mais um de faniquitos e cheio de “opiniões”. A comunidade WP brasileira está repleta dessas figuras “nao-me-toques”, “só-ajudo-se-vc-pedir-do-jeito-que-eu-considero-certo” etc.

    Não percebe que isso afasta os “pobres mortais”? Ou a ideia é continuar a “panela” de meia-dúzia?

    Lamentável a postura. Perder tempo com postagens “ensinando a pedir ajuda…”.




    0



    0
      • Desculpe, Rafael, mas a sua resposta é tão ou mais arrogante que a postagem em si.

        Não tenho ferida alguma, rsrsrs. Lido com WP há apenas 5 anos e o que eu aprendi foi na raça, contando com o meu inglês. A comunidade internacional é, claro, bem mais abrangente que a brasileira e os “voluntários” que mantêm postura irritadiça com os iniciantes acabam abafados no total. Tive a sorte que um cara que não domina outra língua não terá (pelo visto).

        Esse código de procedimentos que você define como “sine qua non” para o coitado do iniciante conseguir ajuda é um elemento desagregador. Se você se mostra irritado pq o cara não te informou as versões do PHP e do MySQL junto com o pedido de socorro, desculpe-me, mas você é um desmemoriado, que não se lembra de como foi o seu começo. Essa sua postagem, com todo o respeito, tem o efeito inverso ao desejado. Qualquer “rookie” ficaria no mínimo cabreiro de pedir ajuda a você, depois de lê-la. “Será que estou perguntando corretamente?”; “Será que ele vai se ofender ou me espinafrar”…e por aí vai.

        Começar lecionando o sentido da palavra “voluntário” não te parece ofensivo à inteligência alheia?

        Não digo que é o seu caso, mas muitos dos autoproclamados “voluntários”, na verdade, contribuem para o core, disponibilizam plugins gratuitos e pinçam dúvidas em fóruns conhecidos para responder com o único objetivo de se promoverem. Querem, na verdade, arrumar um trampo legal, de preferência em alguma empresa estrangeira, e precisam criar material para currículo. Pouco se preocupam em ajudar de fato.

        Sei de um que é um verdadeiro gênio. Sabe tudo e tem diversos plugins excelentes disponibilizados no repositório oficial. Seria o Pippin Williamson ou o Justin Tadlock brasileiro. Entretanto, ao contrário dos últimos, que são super prestativos e já me ajudaram diversas vezes (sem exigir nada em troca, evidentemente), o cara é super grosseiro e se compraz em maltratar quem não formula perguntas “do modo certo”.

        É assim que se contrói uma comunidade legal? Penso que não. A dúvida foi mal formulada? Peça detalhes. Pronto.

        Por fim, não sou mais garoto. Leciono direito há mais de vinte anos, preparando para concursos. Recebo dúvidas desesperadas de alunos, às vezes às vésperas de provas, via zap, email, tweet, messenger etc. Dizer que isso é invasão de privacidade, desculpe, é absurdo. Qual o problema em informar o canal adequado, se você não quer usar um desses meios? O cara por acaso está te procurando no banheiro?

        Já pensou em simplesmente ignorar os mal educados? Faz mais sentido do que criar barreiras como essa postagem.

        É a minha opinião e agradeço por ter, democraticamente, disponibilizado o espaço.

        Peace.




        0



        0
        • Como prometido, editei o comentário para responder seus outros argumentos.

          Você é livre para discordar da opinião de qualquer um, Luis.

          Só não confunda minha opinião com regras para sua vida. Se não concorda, ignore e bola para frente.

          Por fim, não sou mais garoto. Leciono direito há mais de vinte anos, preparando para concursos. Recebo dúvidas desesperadas de alunos, às vezes às vésperas de provas, via zap, email, tweet, messenger etc. Dizer que isso é invasão de privacidade, desculpe, é absurdo.

          Se você recebe dúvida de alunos, isso não é voluntário. Se são seus alunos, isso significa que você é pago por alguma instituição para dar aulas e tirar as dúvidas deles. Não confunda as coisas.

          Qual o problema em informar o canal adequado, se você não quer usar um desses meios?

          Aparentemente você não leu o texto completo. Menciono o fórum oficial onde as dúvidas devem ser publicadas no começo do post.

          Desculpe, Rafael, mas a sua resposta é tão ou mais arrogante que a postagem em si.
          Peace.

          Não adianta pedir desculpas e depois chamar uma atitude ou alguém de arrogante, e é bem hipócrita me chamar de arrogante e terminar o comentário com “Peace”.

          Não tenho ferida alguma, rsrsrs.

          É muito estranho você dizer que não tem ferida nenhuma mas depois comentar isso daqui um pouco mais adiante:

          …o cara é super grosseiro e se compraz em maltratar quem não formula perguntas “do modo certo”.

          Aparentemente você não recebeu uma resposta do jeito que você queria (provavelmente por que abordou a pessoa usando um dos jeitos exemplificados acima) e agora está julgando quem não te responde do jeito que você quer.

          Luis, se você é livre para não gostar de uma resposta, outras pessoas são livres para não gostarem de uma pergunta.

          A comunidade internacional é, claro, bem mais abrangente que a brasileira…

          É claro que a comunidade internacional é bem mais abrangente que a brasileira:

          • Comunidade internacional = 193 países (segundo a ONU).
          • Comunidade brasileira = 1 país.

          É matematicamente lógico que exista muito mais pessoas dispostas a ajudar em 193 países do que em um único país.

          Esse código de procedimentos que você define como “sine qua non”

          Nossa, onde eu defini algo como indispensável e como uma lei? Usei esses termos em algum momento do meu texto?

          Luis, como eu disse anteriormente, você está julgando as coisas baseado em uma resposta que você não gostou e agora está procurando momentos para se vingar.

          Quer ver outros exemplos?

          Se você se mostra irritado pq o cara não te informou as versões do PHP e do MySQL

          Onde eu me mostrei irritado?

          junto com o pedido de socorro, desculpe-me, mas você é um desmemoriado, que não se lembra de como foi o seu começo.

          Olha que legal, aqui você começa a usar aquela famosa técnica entre advogados que, ao não ter mais argumentos, decidem denegrir a pessoa.

          Qualquer “rookie” ficaria no mínimo cabreiro de pedir ajuda a você

          Nossa, mais um termo estrangeiro sem contexto.

          “Será que estou perguntando corretamente?”; “Será que ele vai se ofender ou me espinafrar”…e por aí vai.

          Como disse anteriormente, se você tem o direito de ficar ofendido com uma resposta, eu também tenho o direito de me ofender com a forma que sou abordado.

          Começar lecionando o sentido da palavra “voluntário” não te parece ofensivo à inteligência alheia?

          Nem um pouco. Você como professor de direito por mais de 20 anos deve saber que é bem comum começar uma explicação com o sentido da palavra. Assim podemos garantir que todos estão na mesma página. Ou talvez você não utilize esse tipo de explicação, já que usou “sine qua non” no seu comentário sem qualquer explicação ou contextualização.

          Algo ofensivo à inteligência alheia é o que você fez ao chamar um iniciante de coitado nesse trecho:

          para o coitado do iniciante conseguir ajuda é um elemento desagregador.

          Não digo que é o seu caso, mas muitos dos autoproclamados “voluntários”, na verdade, contribuem para o core, disponibilizam plugins gratuitos e pinçam dúvidas em fóruns conhecidos para responder com o único objetivo de se promoverem. Querem, na verdade, arrumar um trampo legal.

          Que tipo de dado você está analisando para assumir isso? Você realmente acha justo julgar anos de trabalho dessa maneira só porque você recebeu uma resposta que você não gostou?

          É assim que se contrói uma comunidade legal? Penso que não. A dúvida foi mal formulada? Peça detalhes. Pronto.

          É exatamente essa a intenção desse post.

          Caso você fosse moderador de grupos e respondesse mais dúvidas pelos grupos, você veria a quantidade de tempo que é perdido tentando extrair informações de tópicos mal elaborados.

          Você entra num táxi (solicitado sem nenhum aplicativo) e fica sentado lá sem falar o seu destino? Não né? A vida é muito mais fácil quando explicamos claramente o que queremos fazer e o que está ocorrendo.

          Sobre construir uma comunidade. Você está no Slack do WordPress Brasil? Há mais de 1000 membros lá, incluindo eu, que conversam todos os dias sobre formas de melhorar a comunidade e de compartilhar conhecimento.

          Na minha opinião, por isso publiquei esse texto, saber perguntar e onde perguntar é meio caminho andado para ter uma solução.

          Já pensou em simplesmente ignorar os mal educados? Faz mais sentido do que criar barreiras como essa postagem.

          Luis, mais uma vez você está tentando mudar o que eu escrevi.

          Em nenhum momento eu falei que o problema era a pessoa ser mal educada

          Usando sua própria frase, você está criando barreiras com esses preconceitos e assumindo coisas que eu não escrevi.

          Gostaria te deixar duas sugestões:

          1. Tente conversar com essa pessoa que, em suas próprias palavras, é “super grosseiro e se compraz em maltratar quem não formula perguntas “do modo certo”” e tente resolver isso amigavelmente.
          2. Após ter resolvido essa mágoa do passado, releia o post novamente com mais calma. Assim poderá focar apenas nas dicas, e não como você se sentiu quando recebeu uma resposta que não gostou.



          1



          0
        • Amigo, não sei em que mundo você vive, mas se você imputar obrigação ao Pippin Williamson ou o Justin Tadlock falando como se ele fosse obrigado a parar tudo o que tá fazendo agora pra te ajudar te garanto que no mínimo iam te falar em bom tom que não é assim que a banda toca. Boa parte dos voluntários lá de fora também trabalha para grandes empresas e se criou no mercado ajudando as pessoas, não tem nada de errado nisso, é como o advogado que ganha dinheiro pq ajuda as pessoas, alguns são tão bons que buscam cargos públicos por ter o conhecimento desta formação não? É pecado querer ganhar dinheiro?
          Estou na comunidade a quase 10 anos e trabalho numa dessas grande empresas, colaboro com a comunidade internacional também a algum tempo, e exaltar ela dessa forma pra mim é um grande complexo de vira lata. Ela é maior pq o resto do mundo fala inglês, mas tem erros e acertos bem parecidos com o nosso, muda apenas que o mercado lá é mais opensource do que aqui.
          Se bem entendi seu problema pessoal deve ter sido com alguém que você deveria agradecer por fazer mais de 40 plugins gratuitos para um determinado segmento e que responde as dúvidas quando são dúvidas e responde a altura quem imputa obrigação no belo trabalho que ele voluntariamente sempre fez, e cresceu no mercado graças a comprovada competência em seu trabalho. Você é advogado, se não perguntar do modo certo para seu cliente ou explicar direito para o juiz, você consegue o que quer?
          Comunicação bem feita é chave para sucesso em qualquer área.




          0



          0
    • Luis, repense um pouco sua resposta, vamos levar a ideia para outras carreiras:
      Exemplo: Você é advogado, eu também sou. Você é um advogado com 40 anos de experiência e eu estou na faculdade. Te conheço mas você não me conhece. Ai eu vou no seu perfil no facebook, digo que tenho um cliente com um grande problema, que vendi o serviço e não sei resolver, e quero que você de graça, responda várias perguntas cabeludas sobre como devo resolver o caso do meu cliente, praticamente fazendo todo o trabalho. Você está ajudando alguém ou fazendo o trabalho de outro para o outro ganhar o dinheiro? Você tem que parar de atender os seus clientes no meio do dia pra resolver este meu problema?

      Repense sua posição, não tem nada da comunidade X está cheia de não me toques, é uma questão simples aplicada para qualquer carreira que a gente quiser exemplificar




      0



      0
      • Guga, obrigado pelo debate.

        Veja, leciono direito há muito tempo. Em razão da função pública que exerço, estou impedido de prestar serviço de consultoria jurídica. Não foram poucas as vezes que advogados me procuraram pedindo ajuda para resolver problemas relacionadas a causas de clientes deles. Mudando o que tem que ser mudado, a situação é rigorosamente a mesma que vc apresenta.

        Evidente que não posso dar qualquer tipo de ajuda em casos tais. Mesmo que nestivesse impedido, não teria tempo para isso. Como resolvo? Tenho uma resposta padrão para esses casos, bem polida e suficientemente fundamentada. Mas não ofendo com isso. Também não apresento as “armas” em caráter preventivo.




        0



        0
      • Iuri, também sou professor e não presto consultoria em WordPress a algum tempo por agora trabalhar na empresa que criou o WordPress.
        Não foram poucas vezes que desenvolvedores me procuraram para resolver problemas relacionados a projetos de clientes deles também, afinal um dos sites mais antigos que ensinam WordPress em português é um criado por mim, e acho que você não entendeu o ponto de que ninguém está se negando a ajudar, mas que em um trabalho voluntário você ajuda o que quer, quando quer e pode, e não deve parar o seu trabalho para resolver o do outro.
        Como professor você tem o dever de ajudar seu aluno, você foi pago pelo trabalho o que descaracteriza qualquer voluntariado, você estabeleceu uma relação de troca em que ganhou algo em troca de lecionar e que também pressupõe responder as dúvidas dos seus alunos, mas mesmo isso não quer dizer que ele tem que te mandar mensagem do tipo “Professor, me ajuda agora urgente” e te pedir para parar de trabalhar, parar de ganhar o seu pão na hora que interessa ao outro e não a você, ai deixa de ser troca.
        Respondo e continuarei respondendo todas as dúvidas que puder no tempo que me proponho para isso, no meu tempo, pois voluntariado é diferente de responder aluno que te pagou para isso.




        0



        0
        • Cara, desculpe, mas vocês estão vendo controvérsia onde não há. Em nenhum momento eu manifestei crítica ao fato de o voluntário não ser obrigado a deixar o seu trabalho remunerado para ajudar a quem pede socorro. Nunca. Concordo com tudo o que você falou aí em cima. Como poderia discordar? É bom senso, certo?

          O que eu não acho legal são postagens como a que gerou esse debate saudável, que pretendem “dirigir” o pedido de ajuda e acabam travando o iniciante, fazendo-o buscar outra comunidade. Por algumas respostas à minha crítica, você pode depreender como alguns dos membros são afetados… Isso não é exclusividade nossa. Quem nunca topou com um desses no Stack Overflow, por exemplo? Não basta não responder ao pedido de socorro. É preciso molestar o cabra e fazê-lo se sentir ainda mais inferior. Não se percebe que a pergunta muitas vezes vem sem grandes detalhes exatamente em razão da inexperiência de quem a formula.

          Mas é isso aí. Vamos em frente.




          0



          0
        • Vejo que ainda há mágoa com algo que aconteceu contigo no passado, já que você ainda insiste que “molestamos” usuários 🙁

          Como sugeri em outro comentário:

          1. Tente conversar com essa pessoa que, em suas próprias palavras, é “super grosseiro e se compraz em maltratar quem não formula perguntas “do modo certo”” e tente resolver isso amigavelmente.
          2. Após ter resolvido essa mágoa do passado, releia o post novamente com mais calma. Assim poderá focar apenas nas dicas, e não como você se sentiu quando recebeu uma resposta que não gostou.

          PS: Luis, esse é o seu último comentário aprovado aqui já que isso parece ser um perfil falso (seu avatar é usado por um tal de Mauro).




          0



          0
        • Entendo luroch, mas é bem diferente de quando alguém te aborda no Facebook Messenger diretamente querendo ajuda imediata e ainda reclama se você demora ou diz que está ocupado, tem muita gente passando dos limites do bom senso ai. A questão de falar sobre saber perguntar é para ajudar a receberem ajuda da melhor forma pois é frustrante fazer uma pergunta e 1 hora depois se animar que responderam mas ver que responderam “Não entendi sua pergunta” pq ela foi mal explicada. É preciso saber perguntar o que quer saber para ter a resposta da melhor forma.
          Sobre molestar a pessoa ou não isso é uma atitude pessoal que pelo jeito você enfrentou, e alguns também, mas que constituiu um comportamento individual de alguns e não um padrão de comportamento de 50% + 1 da comunidade, logo é uma minoria sendo destacada como padrão, o que matematicamente está longe de ser amostragem consistente para determinar um padrão geral de comportamento. Se fosse comportamento padrão eu não estaria educadamente debatendo aqui, mas também tacando tais pedras 😉




          0



          0
    • A questão não é “pedir do jeito que considero certo” e sim entender que ninguém é seu empregado, não tem obrigação de te ajudar e por conta disto você precisa ter educação, respeito e tentar passar o máximo possível de informações para que os interessados e dispostos em te ajudar consigam entender facilmente.

      Nas comunidades sempre tem aqueles que se queixam das “panelinhas” porque não foram atendidos. Da uma navegada no fórum oficial do WordPress, vai no grupo do facebook e veja a quantidade de pessoas que já foram ajudadas e que resolvem problemas diariamente com a ajuda da comunidade antes de sair falando bobagem.




      0



      0
      • Caro leobaiano,

        acho que uma interpretação razoável do meu texto indica que não estou defendendo a tese de que voluntários são obrigados a ajudar mesmo diante de falta de educação e de respeito ou da abstenção de informações básicas. Por favor, dê uma relida no texto.

        De todo modo, como vc já sentenciou que eu saí “falando bobagem”, parece que o debate se encerrou antes de começar.




        0



        0
  • Legal Rafael, muito bom e útil!

    Ah, tem essa também:
    – “me mandem uma msg inbox que eu explico melhor o que é que tá acontecendo”

    e logo em seguida chega essa:
    – “obrigado pessoal, o fulano me respondeu inbox e agora tá tudo certo!”

    E tem também:
    – “olha só a minha função como está.. porque não está funcionando?” (e a pessoa cola o código direto no cmapo de texto que não suporta tags nem indentamento)

    Abraços!




    0



    0
  • Rafael,

    só para constar. Não há perfil falso. O Luis Rocha é meu nome do meio e o adotei para questões relacionadas a desenvolvimento web e WordPress. Mauro Lopes (primeiro e último sobrenome) estão ligados à área jurídica.

    Tenho alguns plugins no repositório oficial, como Luis Rock. Este é um deles:

    https://wordpress.org/plugins/master-paper-collapse-toggle/

    Ah, e você é ruim de psicologia! Já disse que nunca fui molestado. Mas, se tivesse sido, acho que a essa altura teria superado…rsrsrsrsrs

    Enfim, embora tenhamos opiniões diversas, remamos na mesma direção.

    abraço a vc e ao Guga Alves.




    0



    0
    • Ah tá, pseudonimos. Só aprovei o comentário para te dar esse direito de respost sobre a diferença de nomes.

      Tenho alguns plugins no repositório oficial, como Luis Rock. Este é um deles:
      https://wordpress.org/plugins/master-paper-collapse-toggle/

      Ah, precisa atualizar esse plugin hein. Recebi a seguinte mensagem quando acessei o link:

      This plugin hasn’t been updated in over 2 years. It may no longer be maintained or supported and may have compatibility issues when used with more recent versions of WordPress.

      Sobre os demais comentários:

      Ah, e você é ruim de psicologia! Já disse que nunca fui molestado. Mas, se tivesse sido, acho que a essa altura teria superado…rsrsrsrsrs

      Posso ser ruim de psicologia por que não sou psicólogo, Mauro, mas pelo menos consigo interpretar textos sem colocar sentimentos nessa interpretação.

      Eu não disse que você foi molestado e novamente você está colocando palavras em minha boca. Pare de fazer isso por que isso é difamação e, como advogado, você sabe disso.

      Você pode dizer que não tem nenhuma mágoa (esse foi o termo que usei e não molestado), mas mesmo assim descreve alguém da comunidade assim:

      …o cara é super grosseiro e se compraz em maltratar quem não formula perguntas “do modo certo”.

      É necessário algum histórico para isso, não? Se for sem motivo algum, aí sim é difamação das bravas.

      Novamente te indico que siga essas dicas, já que você está ignorando-as:

      1. Tente conversar com essa pessoa que, em suas próprias palavras, é “super grosseiro e se compraz em maltratar quem não formula perguntas “do modo certo”” e tente resolver isso amigavelmente.
      2. Após ter resolvido essa mágoa do passado, releia o post novamente com mais calma. Assim poderá focar apenas nas dicas, e não como você se sentiu quando recebeu uma resposta que não gostou.

      Já levamos esse papo longe demais e a cada nova resposta você muda o sentido de algo. Como você já explicou a razão de ter dois perfis com nomes diferentes e já manifestou sua opinião nos comentários anteriores, acredito que não temos mais motivos para seguir com essa conversa aqui 🙂




      0



      0
  • Meus dois centavos: O que extrai do texto é que ajudando aos voluntários facilitando o entendimento durante a formulação da pergunta, as respostas chegam mais facilmente. Então, ao formular uma pergunta, explique ao máximo sua situação e detalhe seu problema, conte o que já tentou fazer para resolver e entenda que ninguém é obrigado a lhe ajudar. Voluntariado é isso. Se alguém acha que sabe a solução e lhe responde, agradeça e explique se resolveu ou não. O restante é mimimi.




    0



    0
  • Pingback: 2016 foi bacana sim - Rafael Funchal

Deixe uma resposta